agosto 12, 2019

Cidade holandesa investe em paradas de ônibus sustentáveis

Desenvolvido pela empresa Mobilane, o mobiliário urbano sustentável presente em mais de 300 pontos da cidade de Utrecht aumenta a biodiversidade e beneficia borboletas e abelhas em ambientes urbanos.

Famosa pela forte cultura da bicicleta, Utrecht é considerada, de acordo com o Índice Copenhagenize, a terceira cidade do mundo mais amigável deste modo de transporte. No entanto, recentemente ganhou destaque também por buscar outras alternativas sustentáveis voltadas à mobilidade e ao transporte urbano, bem como a qualidade de vida de seus moradores.

Mais de 300 abrigos de ônibus passaram por transformação verde ou ecológica, como preferir. A intervenção foi pensada pela empresa holandesa Mobilane, especialista em soluções sustentáveis, a pedido da ClearChannel, agência de publicidade. De acordo com Maurice Prijs, gerente responsável pelo projeto, a parada ecológica conta com assentos de bambu, telhado verde e sua base é feita de concreto reciclado. Além disso, a empresa de ônibus responsável pela instalação das cabines dispõe de veículos elétricos. Consequentemente, tem-se um verdadeiro conjunto de benefícios à população e ao meio ambiente.

Os telhados verdes abrigam 6 a 8 espécies de plantas resistentes a eventos extremos, ou seja, de fácil manutenção, ajudam a filtrar o ar, contribuem para o sistema de drenagem uma vez que absorvem parte da água da chuva. Entre outros benefícios, amenizam elevadas sensações térmicas, enriquecem a biodiversidade local e beneficiam diretamente borboletas e abelhas da cidade.

Telhado verde em parada de ônibus sustentável de Utrecht. / Imagem Mobilane

Apesar de representarem pequenos espaços verdes, para a atual administração pública, as paradas de ônibus sustentáveis representam um esforço conjunto entre os diferentes atores sociais. O objetivo é fazer de Utrecht um lugar melhor de conhecer, viver e trabalhar. Com a intervenção urbana, é possível melhorar ainda mais a qualidade do ar local, inserir elementos naturais ao ambiente construído e superar mais facilmente os desafios do crescimento urbano.